quinta-feira, 3 de abril de 2008

Aumentam as apostas de PL 29 não ser aprovado este ano;

02/04/2008 |
Wanise Ferreira
Telecom Online

Estratégia da TV Globo, que recuou em momento importante das negociações, colocou em risco o projeto.

O mercado ainda analisa o impacto da decisão da TV Globo de recuar no acordo fechado com o relator do PL 29, deputado Jorge Bittar (PT-RJ), para aprovação do projeto, mas aumenta a descrença de que o projeto de lei que trata da convergência de meios possa sair ainda este ano. "A Globo jogou pesado, concordou quando viu que haveria tempo hábil para que ela fosse vencida nas próximas discussões, e recuou em um momento em que a pauta do Congresso Nacional começa a ficar travada com uma séries de medidas provisórias e, dificilmente, terá espaço para aanálise de umprojeto com essa envergadura ainda este ano", diz o executivo de uma emissora de televisão que acompanha as negociações. No mercado de telecomunicações também começa a haver receito de que o projeto não saia este ano. "A convergência de cabeças é o processo mais difícil", ressalta uma fonte ligada às operadoras.

Para as emissoras, diz um analista, havia a convicção de que elas teriam de ceder em alguns pontos, principalmente levando em conta as últimas sentenças do CADE (Conselho Administrativo do Direito Econômico) contra a exclusividade de algumas programações. "Foi quando a Globo concordou com os termos do que estava sendo acordado. Nesse período continuou ganhando a receita de seus 4 milhões de assinantes de TV a cabo onde mantém a exclusividade no seu line up e depois deixou o relator falando sozinho", observa a fonte.

Se foi, ou não, uma estratégia calculada para derrubar o projeto, o fato é que a Globo trouxe um impasse para as negociações ao anunciar que não concordaria mais com algums termos já acordados, como cotas para produção nacional. Bittar ainda tenta salvar o acordo junto aos representantes das emissoras de TV. Bandeirantes e Record continuam apoiando o projeto.

Nenhum comentário: